Desenvolvido por focall.com.br
 

Hino - Campos Formosa

João Antônio de Azevedo Cruz
Newton Perissé Duarte
Partitura - parte 1
Partitura - parte 2
Partitura - parte 3
Partitura - parte 4
Descrição:

No dia 16 do ano de 1954, o Hino de Campos, com letra de Azevedo Cruz e música de Newton Périssé Duarte, foi cantado pela primeira vez em público, realizado no Clube de Regatas Saldanha da Gama, pelo Orfeão Santa Cecília. Fonte : http://institutohistoriar.blogspot.com

JOÃO ANTONIO DE AZEVEDO CRUZ ( Sta. Rita da Lagoa de Cima, 22/07/1870 Nova Friburgo,  22/01/1905), orgulho maior das Letras campistas, é o autor do "mais belo poema da pequena pátria": as "Amantia Verba" (Palavras Apaixonadas), ao lado duma fecunda produção poética, mostrada em parte na coletânea "Sonho" (1943). Alma romântica, espírito refinado, simbolista / em poesia, Azevedo Cruz revelou sua sensibilidade desde os 17 anos, tendo aprimorado um estilo incomparável que, estendendo-se também à Oratória, prima pela comunicação direta e ardorosa com o público. Doutor em Direito pela Faculdade de São Paulo, exerceu variadas atividades, tendo sido jornalista, juiz, político (deputado estadual) e chefe de Policia do Estado. Amou Campos até os últimos fios de sua bela e curta existência.

NEWTON PÉRISSÉ DUARTE (Fazenda do Éden, 03/04/1911 - Rio de Janeiro, 22/03/1973), campista de coração, dono de vasta e brilhante cultura, reservou a Campos uma das mais belas e expressivas páginas do hinário oficial brasileiro: "Campos Formosa" , a versão musical de significativas partes do imortal poema "Amantia Verba". Homem de Letras, filólogo nato, professor emérito em Campos, folclorista, pianista, compositor e regente do "Orfeão de Santa Cecília", eis um reduzido perfil da marcante presença intelectual de Newton Périssé Duarte, uma vida dedicada ao engrandecimento cultural e artístico de nossa terra.

Onde Encontrar o Hino de Campos:

A Fonoteca da Casa de Cultura Villa Maria dispõe, em seus acervos, do hino Campos Formosa em três versões:

I) a uma voz, cantado pelo Orfeão do IEPAM no início dos anos 80;
II) a 2, 3 e 4 vozes, cantado pelo Orfeão de Santa Cecília (gravação em  78 RPM) sob a regência do próprio compositor na década de 50;
III) idem, pelos Corais de Campos acompanhados da Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, por ocasião da Semana da Memória Musical de Campos (1991). Atualmente o Coral da Universidade Estadual do Norte Fluminense tem em seu repertório o Hino de Campos.

fonte: http://camposfotos.blogspot.com.br/2010/12/campos-dos-goytacazes-rj-bandeira-e.html
contato: fotosdecampos@gmail.com

Versos de Azevedo Cruz
Música de Newton Perissé Duarte

ICampos Formosa, intrépida amazona
Do viridente plaino goitacás
Predileta do luar como Verona
Terra feita de luz e madrigais

Ó Paraíba, ó mágica torrente
Soberana dos prados e vergéis
Por onde passas como um rei do oriente
Os teus vassalos vêm beijar-te os pés

Nada iguala os teus dons, os teus primores
Val de delícias, o teu céu azul
Minha terra natal ninho de amores
Urna de encantos, pérola do sul

Campos Formosa, intrépida amazona
Do viridente plaino goitacás
Predileta do luar como Verona
Terra feita de luz e madrigais

Ó Paraíba, ó mágica torrente
Soberana dos prados e vergéis
Por onde passas como um rei do oriente
Os teus vassalos vêm beijar-te os pés

Ó Paraíba, ó mágica torrente
Rio que rolas dentro do meu peito.